Obras da estação de trens foram iniciadas

Por: Coordenadoria de Relações Públicas | Em: 08/02/2018

Os primeiros passos da obra da estação Francisco Morato, linha 7 - Rubi já começaram. Nesta semana, a prefeita Renata Sene anunciou em sua rede social que a obra está no processo de topografia, após receber no gabinete, representantes do Consórcio Telar-Spavias, empresa responsável pela obra.
Nesta primeira fase serão feitos estudos topográficos, sondagem do solo, vestiários e abrigos para os funcionários e a demolição de um dos prédios antigos para novas edificações. A segunda fase está prevista para o segundo semestre deste ano, e é o momento de maior movimentação de solo, com entrada de máquinas.
“Na reunião, com os responsáveis pelo planejamento da obra, discutimos as interferências que vão ocorrer no tráfego da cidade e iniciamos estudos para acomodar tudo da melhor maneira”, disse Renata.

O contrato da obra foi assinado pelo governador Geraldo Alckmin em novembro no Palácio dos Bandeirantes.

A nova estação será a mais moderna da linha 7- Rubi e terá passagens subterrâneas.

Cerca de 45 mil moratenses usam a Linha 7-Rubi todos os dias. Essa é a maior linha da CPTM, com 60,5 quilômetros de extensão e liga a Estação da Luz a Jundiaí. O trecho maior, com 39 quilômetros, da Luz até Francisco Morato, atende cerca de 395 mil passageiros nos dias úteis. E a extensão dessa linha, de Francisco Morato a Jundiaí, que tem 21,5 km, atende 30 mil usuários por dia útil. De acordo com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, CPTM, a obra foi parada em 2014 pela Justiça a pedido da empresa vencedora da licitação e agora finalmente será retomada. 

Por diversas vezes a prefeita Renata Sene e a Câmara dos Vereadores estiveram com o governador cobrando as providências em prol da população. Neste ano inclusive, foi montada uma Frente Parlamentar, na Assembleia Legislativa com ajuda dos deputados e dos prefeitos das cidades vizinhas Kiko Celeguim de Franco da Rocha, e Gerson Romero de Caieiras para que o pedido tomasse força por meio do Consórcio de Municípios da Bacia do Juquery - Cimbaju e o esforço foi recompensado.