Piscinão é peça fundamental na captação de águas pluviais e combate a enchentes

Por: Coordenadoria de Relações Públicas | Em: 07/01/2020

A forte chuva que atingiu Francisco Morato no dia 2 de janeiro provocou um acúmulo de água no centro da cidade que poderia causar consequências mais graves se não fosse um dispositivo muito importante na contenção das aguas da chuva: o piscinão.

No início de 2017, a Prefeitura retomou a obra do Reservatório de Retenção de Picos de Cheias Tapera Grande - 3 (mais conhecido como “piscinão”), que estava parada desde 2010.

Após avaliação do Departamento de Águas e Esgoto (DAEE), foi visto que, para a conclusão da obra, seria necessária a remoção de todo o material inerte e da terra que estavam no fundo do piscinão. Seria preciso fazer essa ação pelo fato de o piscinão ter sido abandonado por tanto tempo, o que fazia com que não conseguisse reter toda a água necessária para evitar transtornos à cidade.

Nessa primeira fase, feita em 2017, foi feito o desassoreamento do local, quando mais de 80 mil metros cúbicos de material inerte foi retirado do piscinão. Totalmente limpo e finalizado, em 2018 a obra foi oficialmente entregue à municipalidade, com o DAEE ficando responsável pela sua manutenção permanente.

Atualmente, o piscinão tem capacidade para armazenar mais de 200 mil caixas d´água de mil litros cada. E agora, depois da chuva do dia 2, é possível perceber a importância do dispositivo para a cidade.

No dia seguinte à chuva, 3 de janeiro, a prefeita Renata Sene reuniu-se com técnicos do Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (DAEE), para discutir ações e planejamento para minimizar o impacto das chuvas nesse período do ano.

De imediato, os técnicos do DAEE informaram que, para restabelecer a capacidade total de retenção das águas da chuva, o piscinão passará por desassoreamento e limpeza geral na semana que vem, e, após esse procedimento, estará novamente apto a captar e reter as águas das chuvas e as que ali são direcionadas pelo sistema de captação de água das ruas em seu entorno e de vários bairros próximos àquela região.

Na reunião entre a prefeita Renata Sene e os técnicos do DAEE também foi apresentado o Plano Municipal de Macrodrenagem, que aponta o diagnóstico e estudo das demandas do serviço de drenagem em Francisco Morato e cita as metas e o plano de trabalho, assim como também foi reiterada a solicitação do projeto executivo para a construção de mais piscinões em Morato.